Mostrar 1 resultados

Pesquisa por órgão
Previsualizar a impressão Hierarchy Ver:

1 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais

(RE)PENSAR A FABRICAÇÃO DIGITAL: Uma análise das produções científicas sobre Fabricação Digital

O objetivo deste estudo é analisar a inserção da Fabricação Digital (FD) no âmbito da Educação. A FD refere-se aos processos que utilizam computador conectados à maquinários de fabricação, para construir objetos físicos. As práticas de FD também estão vinculadas aos princípios do Movimento Maker e do Faça Você Mesmo (FVM), na qual os próprios indivíduos constroem seus projetos. Para atingir o objetivo proposto, utilizou-se a metodologia de pesquisa bibliográfica para o levantamento do conjunto que compõe a materialidade desta pesquisa. A analítica se deu em 31 fontes bibliográficas constituídas por 20 artigos científicos, 4 dissertações, 2 teses e 5 livros. A partir das análises, foram definidos três enfoques principais que representam a finalidade da utilização da FD em contextos educacionais, quais sejam: disseminação e democratização das Tecnologias Digitais (TD) por meio da FD; cooperação na FD e compartilhamento de arquivos e conhecimentos; e aprendizagem potencializada pela FD. A analítica empreendida nos enfoques permitiu identificar uma contradição entre a FD e o Movimento Maker. Mais especificamente, percebe-se que a aprendizagem defendida pelo Movimento Maker preconiza que os sujeitos exerçam o FVM e a sua criatividade no processo de criação de objetos. Entretanto, algumas práticas de FD, como o compartilhamento de arquivos, implicam mais a reprodução de projetos do que a sua criação. Nesse cenário, o produto final parece ser mais importante do que o processo de construção. Com isso, o trabalho criativo dos indivíduos é minimizado, e a aprendizagem pode, nesse sentido, não ocorrer. A fim
de divulgar as problematizações desta pesquisa, foi criado um portal de conteúdo online, com informações e notícias sobre FD e três Webinários disponibilizados no canal de vídeos YouTube, nos quais são apresentadas as reflexões e desconstruções que compõem esta dissertação.

Bruna Flor da Rosa