Mostrar 1917 resultados

Pesquisa por órgão
Com objeto digital
Opções de pesquisa avançada
Previsualizar a impressão Hierarchy Ver:

Portaria 271/2019

Revogar a Portaria nº 257, de 03 de setembro de 2019 e designa servidores para constituir Banca Examinadora que efetuará o Processo Seletivo para contratação de Professor Substituto da Área/Disciplina de Panificação e Confeitaria, no Campus Porto Alegre do IFRS, de acordo com o Edital Campus Porto Alegre Nº 44/2019.

Direção Geral

Portaria 270/2019

Designa os membros para compor Comissão de estudos de viabilidade para implementação de Curso Técnico em Eventos, no formato subseqüente, no Campus Porto Alegre do IFRS.

Direção Geral

Portaria 269/2019

Designa a servidora CLARICE MONTEIRO ESCOTT, Professora do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do IFRS, para a função de Coordenadora do Curso de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica.

Direção Geral

Portaria 268/2019

Localizar o exercício dos servidores Técnico-Administrativos em Educação.

Direção Geral

Portaria 267/2019

Designa servidoras para as funções de presidente e secretária da Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD) do Campus Porto Alegre, em complemento à Portaria nº 249/2019/POA/IFRS.

Direção Geral

Portaria 266/2019

Concede a renovação da liberação de 40% da carga horária da jornada de trabalho semanal da servidora CRISTINE STELLA THOMAS.

Direção Geral

Portaria 265/2019

Designa servidores para atuarem como equipe de fiscalização do Contrato nº 52/2019 firmado entre o IFRS – CAMPUS PORTO ALEGRE e a empresa ELEVADORES ALCER LTDA.

Direção Geral

Portaria 264/2019

Concede progressão por Mérito Profissional à servidora FABIANA AGENDES HADLER, Técnica em Tecnologia da Informação do IFRS, da Classe D, padrão 405, para a Classe D, padrão 406.

Direção Geral

Portaria 263/2019

Concede progressão por Mérito Profissional à servidora LETÍCIA NOAL TAGLIARI, Assistente de Alunos do IFRS, da Classe C, padrão 406, para a Classe C, padrão 407.

Direção Geral

Portaria 262/2019

Concede progressão por Mérito Profissional à servidora SUZANA PRESTES DE OLIVEIRA, Assistente em Administração do IFRS, da Classe D, padrão 406, para a Classe D, padrão 407.

Direção Geral

Boletim de serviço Agosto/ 2019

Boletim de serviço ordinário do Campus Porto Alegre referente ao mês de agosto de 2019.

Comissão responsável pelo Boletim de serviço

Ata 04/ 2019

Ata da reunião ordinária da Comissão de Gerenciamento de Ações de Extensão, de 14 de agosto de 2019.

Comissão de Gestão de Ações de Extensão

AS POLÍTICAS PÚBLICAS DA CIDADE DE CANOAS-RS VOLTADAS À INSERÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO CONTEXTO ESCOLAR: UM ESTUDO SOBRE O CICLO DE POLÍTICAS

A presente pesquisa intitulada As Políticas Públicas da Cidade de Canoas-RS voltadas à Inserção de Novas Tecnologias no Contexto Escolar: Um Estudo sobre o Ciclo de Políticas, é o resultado de uma análise aprofundada sobre a efetivação de ações governamentais que visavam atender uma das metas do Plano Municipal de Educação da cidade, especialmente no período que tange 2011 a 2016. Num primeiro momento, a pesquisa foi documental e bibliográfica a partir da análise dos seguintes documentos: Avaliações do Plano Semestral de Governo (expostas no site da prefeitura); os Planos Plurianuais 2010-2013 e 2014-2017; e os documentos: PDE Canoas 2022 e PME Canoas 2015-2025. Dentro destas fontes, nosso foco foi buscar as ações governamentais e/ou políticas públicas que atenderam a meta 7 e principalmente a estratégia 7.7 do Plano Municipal de Educação de Canoas que buscam a inserção das tecnologias no ambiente escolar. Deste modo, nossas convergências se deram, em especial, nas seguintes metas do Programa de governo denominado “Mais Confiante no Futuro”: entrega do incentivo à compra de notebooks aos professores das Escolas de Ensino Fundamental; a distribuição de lousas digitais para as instituições escolares; a realização de cursos de qualificação; e a disponibilização de internet móvel; metas estas avaliadas como atingidas ainda no segundo semestre de 2015. Num segundo momento, nossa pesquisa voltouse para a escuta dos “beneficiados” pelas ações da política pública, através de questionários disparados aos docentes e entrevistas realizadas com as equipes diretivas das escolas. Nossa intenção foi de verificar se houve benefícios à rotina escolar após as ações diretas do governo, atingindo o objetivo da política pública de promover uma qualificação do ambiente e oportunizar a igualdade de condições entre os sujeitos escolares. Para concluir nosso ciclo, escutamos através de entrevistas, os dois secretários de educação e também o prefeito destas gestões a fim de fazer o cruzamento das informações sobre a mesma temática: a inserção das tecnologias no ambiente escolar através de estratégias da política pública. Após a análise deste estudo constatamos que grande parte das políticas cumpriram-se no quesito execução, porém, por ter faltado aquilo que julgamos ser a parte mais importante - mas ao mesmo tempo difícil - que é a formação continuada, o fomento ao uso dessas tecnologias dentro do espaço escolar ficou comprometido. Com base nesta constatação propomos aqui um produto de planejamento estratégico e ao mesmo tempo diagnóstico a fim de mapear os dados do Plano Municipal de Canoas fornecendo à cidade um panorama anual da situação das escolas municipais de ensino fundamental. Pretendemos ainda construir e disponibilizar uma ferramenta a ser compartilhada com todas as instituições escolares de forma gratuita para evitar desperdícios do dinheiro público.

Silvia Letícia de Senna

CURSOS DE EXTENSÃO A DISTÂNCIA NO IFRS: UM ESTUDO SOBRE O PERFIL DA OFERTA, DEMANDAS, PERSPECTIVAS E INFLUÊNCIA DOS MASSIVE OPEN ONLINE COURSES (MOOC)

O presente trabalho investiga a oferta de cursos de extensão a distância do IFRS e identifica a influência de determinadas características dos Massive Open Online Courses (MOOC). Analisa como este formato poderia potencializar e ampliar as ações
de extensão da instituição, perspectivas, limitações e possibilidades desta combinação. De natureza exploratória e abordagem quali-quantitativa, realizou-se a revisão bibliográfica, análise documental e, através da coleta e análise de dados entre os anos de 2016 e 2018 obtidos junto à Coordenadoria de Educação a Distância (CEaD), buscou-se produzir os seguintes resultados e produtos: a) fornecer uma visão geral dos cursos de extensão a distância já ofertados à comunidade em geral, bem como características e resultados desta oferta; b) identificar o perfil e demandas dos estudantes vinculados à plataforma; c) demonstrar qual a normatização vigente na instituição para a oferta de cursos neste formato e apresentar um roteiro resumido de como promover ações nesta área, contemplando o fornecimento de certificados e conversão da oferta em recursos financeiros para os campi; d) fornecer dados que direcionem novas ações nesta área por parte dos campi do IFRS. Espera-se também que este trabalho amplie a divulgação do catálogo de cursos de extensão a distância disponível na plataforma da instituição, estimulando a participação da comunidade interna e externa: estudantes do IFRS buscando novos conhecimentos e recursos para o cumprimento de horas extracurriculares de seus cursos de formação, servidores (técnicos e docentes) buscando qualificação e fomentando a criação de novos objetos educacionais através de projetos de pesquisa e extensão. De maneira mais ampla, espera-se que o trabalho desenvolva novas perspectivas diante do tema e aprofunde a discussão sobre os desafios e potenciais do formato MOOC na oferta de cursos de extensão a distância, de maneira que a extensão do IFRS cumpra com efetividade seu papel de promover o relacionamento amplo e dialógico com a sociedade, indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão e conheça melhor as demandas da comunidade onde atua.

Alexandre Adriano dos Santos Lima

SALABIL: Plataforma Educacional para Criação de Aulas para Surdos com uso da L1 E L2

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146), foi promulgada em 6 de julho de 2015 e entrou em vigor em 01 de janeiro de 2016. Essa lei assegura a inclusão escolar em todos os níveis e modalidades, o direito à tecnologia assistiva e a oferta de educação bilíngue para as crianças surdas, que garante a Libras como a primeira língua e o português, a segunda (modalidade escrita). Com base nessas informações, e por meio de pesquisas e entrevistas realizadas com profissionais da área durante a elaboração deste trabalho, constatou-se que ainda há pouco material digital compartilhado que dê suporte aos professores em sala de aula para trabalhar com o aluno surdo. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de uma plataforma educacional para auxiliar o professor na elaboração de material didático digital. A metodologia utilizada nessa dissertação é a abordagem epistemológico-metodológica Design Science Research, que prevê a construção de um artefato que direcione à resolução de um problema ao mesmo tempo que produz um novo conhecimento científico. A plataforma elaborada, doravante chamada por SalaBil é composta por dois portais; o primeiro é destinado ao professor, para que possa criar suas aulas e atividades; o segundo, voltado ao aluno, tem por finalidade a realização dessas atividades. Cada atividade é um objeto de aprendizagem, que poderá ser composto por textos, imagens, vídeos, jogos de memória, de ligar e questionários, e que pode ser reutilizado e compartilhado entre os professores. Há, também, um dicionário, alimentado pelos professores, que serve como base para a criação das atividades de aula e que permite um acesso fácil e rápido a todo o vocabulário que já tenha sido mapeado. Cada palavra é registrada no dicionário com seu significado, exemplos, palavras chaves, imagens, vídeos, sinal em Libras, bem como, com o acesso a qualquer outro material que o professor considere importante associar ao verbete. Todo material registrado poderá ser utilizado posteriormente nas atividades que o professor produzirá. Quanto mais verbetes forem inseridos, mais rico e útil ele se tornará, deixando o conhecimento de todos, registrado em um único local de acesso universal. Com isso, a educação bilíngue de surdos será beneficiada, pois quanto mais objetos forem compartilhados, mais materiais de qualidade os professores terão oportunidade de criar e, a língua de sinais ficará acessível a um maior número de pessoas

Cristina Almeida da Silva

OBJETOS DE APRENDIZAGEM COMBINADOS À SALA DE AULA INVERTIDA: A PROPOSIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA PARA FAVORECER O APRENDIZADO DE INGLÊS

Neste trabalho avalia-se os resultados da experiência de aulas presenciais de ensino de inglês para a área de administração com práticas presenciais e digitais em um ambiente monitorado virtual (Moodle). Nele o uso de objetos de aprendizagem é combinado ao modelo de sala de aula invertida; estes OAs são utilizados para o ensino de língua inglesa na plataforma Moodle. O uso de objetos de aprendizagem foi a alternativa metodológica usada para dinamizar o aprendizado, e o modelo de sala de aula invertida foi adotado de modo a potencializar o contato dos estudantes com a língua inglesa, compondo uma aprendizagem híbrida, em que o inglês é praticado tanto de forma presencial como a distância. A investigação desta pesquisa foi realizada na EMEB Liberato Salzano Vieira da Cunha e o público alvo é composto por alunos na faixa de 18 a 40 anos. A presente pesquisa é qualitativa, tendo sido desenvolvida sob a forma de um estudo experimental, utilizando dois grupos de participantes: um grupo de controle que não utilizou objetos de aprendizagem e o modelo de sala de aula invertida, e um grupo que participou ativamente da pesquisa. Neste caso, os estudantes foram monitorados quanto à sua participação e execução das tarefas na plataforma Moodle, onde os objetos de aprendizagem foram disponibilizados. A participação também foi avaliada por meio de questionários que viabilizaram um diagnóstico inicial e final, possibilitando identificar a percepção dos alunos quanto às estratégias propostas. Entre as ações de pesquisa, destacam-se: identificar como a combinação de objetos de aprendizagem em um ambiente de aprendizagem híbrida pode influenciar no processo de aquisição da língua inglesa pelos alunos; testar o uso da sala de aula invertida, em que os OAs são disponibilizados antes no ambiente virtual e depois exercitada em aula presencial; propor um ensino de língua para a prática das quatro habilidades (fala, audição, escrita e leitura). Como produto é proposto um conjunto de critérios que deve ser levado em consideração ao se utilizar o modelo de sala de aula invertida no ensino de inglês para fins específicos (ESP).

Adilson Skalski Zabiela

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO A PARTIR DO USO DE SOFTWARE EDUCACIONAL PARA CRIANÇAS COM DIFICULDADES NA LEITURA E NA ESCRITA

A criança convive com diferentes meios de leitura desde os primeiros anos de vida, em todo tempo, em todo o lugar. O letramento faz parte do seu cotidiano através de inúmeros recursos, como rótulos, receitas, jornais, embalagens, revistas, livros infantis, mídias digitais, já a alfabetização acontece quando ocorre o processo de leitura, quando a criança percebe a diferença entre fonema e grafema, decodifica, compreende, estabelece relações e interpreta o que lê. As Políticas Públicas determinam na 5º meta do Plano Nacional de Educação que toda criança deve estar alfabetizada aos oito anos, no entanto ao final do primeiro ciclo de alfabetização, aproximadamente 25% dos estudantes brasileiros não leem, não escrevem e não interpretam. Nesse sentido, o objetivo principal dessa pesquisa foi investigar em que medida o uso de softwares de alfabetização disponíveis no Brasil contribuem de forma efetiva para a aquisição da leitura, da escrita e inserção na cultura do letramento por parte de crianças com dificuldades na aprendizagem. A partir de um estudo bibliográfico envolvendo os autores como Vygotsky, Rosana Rojo, Magda Soares, Maria de Fátima Russo, Cecília Goulart Stanislas Dehaene, Sonia Kramer Eglê Franchi, Alexsandra G. Seabra, Fernando Capovilla, John F Savage, entre outros, a pesquisa teve uma abordagem qualitativa, de natureza aplicada, sob a forma de um estudo experimental, acompanhado de levantamento de dados para diagnóstico e intervenção, envolvendo um grupo de vinte e dois (22) estudantes do 4º ano do Ensino Fundamental, de uma escola pública municipal localizada nos Campos de Cima da Serra. A pesquisa teve a duração de dezesseis semanas. Durante doze semanas aplicaram-se as atividades dos Softwares GCompris, Participar2 e Luz do Saber que trouxeram contribuições favoráveis para o desenvolvimento da leitura e escrita para todos os estudantes envolvidos, sendo que cinquenta por cento (50%) destes, ao final da décima segunda semana, estavam alfabetizados. Constatou-se que os demais estudantes apresentavam dificuldades em compreender o som das letras e fazer a relação com a grafia. Assim foi planejado, programado e testado um Software baseado no método sintético/fônico, e aplicado com os onze alunos que ainda apresentam dificuldades na aprendizagem. O “Software Circuito Mágico Alfaletrando” foi utilizado durante quatro semanas e constatou-se que os onze progrediram em sua aprendizagem, desses, oito apresentam leitura fluente, fazem associação de ideias de um texto, compreendem o contexto social, interpretam e produzem pequenos textos. Concluiu-se que, o uso de Softwares de alfabetização auxiliou os estudantes no desenvolvimento da leitura, da escrita e do letramento uma vez que 86,36% dos estudantes pesquisados foram aprovados

Nilva Michelon

CRITÉRIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE JOGOS DIGITAIS EDUCACIONAIS PARA AUXILIAR NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Considerando-se as potencialidades dos jogos digitais e a necessidade de recursos educacionais, para auxiliar no processo de aprendizagem de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), este trabalho apresenta a definição de critérios específicos para a construção de jogos digitais educacionais para este público. A partir da utilização de jogos como recurso pedagógico, as crianças tendem a amadurecer algumas capacidades de socialização, por meio da interação e da utilização e experimentação de regras e papéis sociais. O ato de jogar ensina valores e, após utilizar o jogo sobre um determinado conteúdo, a criança vai relacionando com o que aprendeu em sala de aula, montando esquemas, formando seus próprios arquivos, que à medida que se desenvolvem, tornam-se mais generalizados e mais maduros. O trabalho apresenta os procedimentos metodológicos que consistiram em levantamento de referencial teórico e jogos específicos para crianças com TEA, análises comparativas dos jogos pesquisados, seguindo critérios estabelecidos pela pesquisa bibliográfica. Serviram como base também, observações, entrevistas e testagens dos jogos. A partir da análise realizada e dos dados compilados, elaborou-se critérios específicos para auxiliar na criação de futuros jogos digitais destinados as crianças com TEA, que possam atender as reais necessidades do processo de aprendizagem deste público.

Elisa Dias Kowalski

SISTEMA COMPARTILHAR: POSSIBILIDADE DE CONTRIBUIR COM AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO IFRS

Esta dissertação tem como objetivo desenvolver um meio digital pelo qual seja possível compartilhar e registrar as práticas pedagógicas dos professores do IFRS. Os objetivos específicos desta pesquisa referem-se a estudar o referencial teórico, conhecer repositórios educacionais e estudar sistemas de armazenamento de práticas ligadas à educação. Esse meio digital diz respeito ao Sistema de Compartilhamento de Práticas Pedagógicas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS); trata-se de um sistema colaborativo intitulado Sistema Compartilhar. Espera-se que, a partir dele, as trocas relativas às práticas pedagógicas sejam fomentadas. Além disso, o sistema proposto possibilita cadastrar e atender a demandas referentes aos processos de ensino e de aprendizagem desta instituição. Inicialmente, esse sistema foi pensado para as práticas inclusivas, mas o estudo do referencial teórico mostrou que isso não fazia sentido, quando se compreende que a aprendizagem não está apenas centrada no sujeito, mas que é parte de um processo que se constitui na condução das práticas pedagógicas. Por isso, o sistema passou a ser pensado para abarcar práticas pedagógicas. Dessa forma, contempla todos os alunos, considerados de inclusão ou não. Como o IFRS é uma instituição organizada em 17 campi, a disposição geográfica acaba dificultando a comunicação entre os docentes. As possibilidades de pensar as práticas pedagógicas e a criação de materiais, ferramentas e outros artefatos que podem auxiliar no processo de ensino e de aprendizagem ficam restritos aos poucos momentos de intercâmbios realizados nas reuniões. Com base nisso, o problema desta pesquisa é: como auxiliar o compartilhamento de práticas pedagógicas entre os professores do IFRS? Esta pesquisa tem como aporte os Estudos Foucaultianos, utilizo autores como Biesta (2017), Castel (2008; 2013), Deleuze (2003), entre outros. A metodologia empregada foi, inicialmente, uma pesquisa bibliográfica; porém, como não deu conta de atender ao objetivo proposto, ampliei a metodologia e utilizei a pesquisa documental em sites, onde busquei repositórios educacionais, e a análise das plataformas Build in Progress (BiP) e do GitHub. Na busca por repositórios educacionais, encontrei 56. Após, com base nos aspectos busca, acesso e organização dos materiais, selecionei 13 repositórios para ajudar-me na idealização do Sistema Compartilhar. A partir da investigação, projetei o sistema utilizando casos de uso juntamente com sua descrição, e algumas telas foram prototipadas com o auxílio do software Balsamiq. Com esta investigação foi possível, além da prototipação, implementar o Sistema Compartilhar.

Eurídice Segaspini Peixoto

ESTÍMULO AOS ADULTOS PARA LEITURA LITERÁRIA: possibilidades e desafios em Ambiente Virtual de Aprendizagem

A presente pesquisa tem como problema o seguinte: adultos podem ser estimulados à leitura literária por meio de formação continuada em ambiente virtual de aprendizagem (AVA)? A partir do problema de pesquisa, adota-se como objetivo geral: verificar se a formação continuada em AVA estimula a leitura literária de adultos. A aplicação da pesquisa se dá pela oferta de Extensão, denominado Formação de Leitores e Mediação de Leitura. O referencial teórico aborda as questões da Leitura e Relação texto-leitor, Alfabetização e letramento, inclusive o letramento literário, formação de leitores e mediação de leitura, bem como a Educação aberta e a distância e ambiente virtual de aprendizagem. A pesquisa é aplicada, sendo sua metodologia qualitativa, com abordagem exploratória e modalidade estudo de caso. A análise de dados é feita utilizando-se análise de conteúdo, cujos objetos são as produções textuais e as transcrições de entrevista semiestruturada dos sujeitos desta pesquisa, no quantitativo de 6 (seis), participantes do Curso de formação de leitores em ambiente virtual de aprendizagem, oferecido como curso de Extensão no IRFS-Campus Porto Alegre. A discussão de resultados se dá em torno da interação dos alunos ao longo do curso, bem como os resultados apontados em suas entrevistas. Conclui o alcance dos objetivos e apresenta algumas particularidades. Sugere melhorias ao produto e a possibilidade de sua replicação para outros públicos.

Luciana Kramer Pereira Müller

Resultados 1 a 20 de 1917